Poemas

 

As palavras foram criadas para descrever o universo binário em que socialmente vivemos, onde os seres e as coisas estão divididos e classificados em pares de opostos: macho/fêmea, homem/mulher, bom/mau, feio/bonito, céu/terra.

Difícil, assim, que haja palavras para descrever a alma da pessoa transgênera, tão subjetiva e ambígua, sempre a meio caminho de dois polos, sem se identificar ou pertencer completamente a nenhum dos dois.

Só a poesia é capaz de ultrapassar os limites da palavra, impostos pela divisão arbitrária do mundo em duas metades desiguais.

A poesia reinventa um sujeito íntegro e inteiro, que não é mais nem masculino nem feminino, mas simplesmente humano.

Letícia Lanz, junho de 2008.

Poemas de Letícia Lanz

 

Poemas de Vários Autores

 

Comments are closed.

acessos até de |

Última Atualização: 11-07-2013

Data da Instalação: 29-06-2008